8 de janeiro de 2011

Ode à liberdade







Que sentimento é esse!
Invadindo minha alma...
Nessa noite sem luar.
E muita calma. ...

Liberdade, e que os pássaros voem fora das gaiolas!
Atitude para que a vida soe como música na vitrola!

Um pacto eterno de amizade e de amor.
Um instante belo de desejo e sem pudor.

Liberdade, e que os pássaros voem fora das gaiolas!
Atitude para que a vida soe como música na vitrola!

A boca dela eu desejo.
E a dele, também!
Como num passe perfeito
Estamos loucos e reféns

Estamos felizes e intensos,
Satisfeitos e eternos!

Somos mansos e tensos,
Loucos e completos!

Mardê


2 comentários:

  1. A dualidade do ser aparece nas horinhas de descuido em que ao mesmo tempo achamos tudo bom e ruím, mas vale a pena viver como dizem as palavras da poeta, Mardê ! Naturalidade é o que há pra alma!

    ResponderExcluir
  2. Um ser absoluto... Pensar é a arte de todos os loucos! Fernando César

    www.fernandocesarpoesia.blogspot.com
    www.myspace.com/rosemarrybh

    ResponderExcluir